Carta aos operários da URSS

trotsky

Leon Trotsky¹, 23 de abril de 1940

Saudações aos operários, aos camponeses das granjas coletivas, aos soldados do Exército Vermelho e aos marinheiros da Armada Vermelha da União Soviética! Saúdo-os desde o distante México, donde encontrei refugio depois que a camarilha stalinista me exilou para a Turquia e as burguesias me perseguirem de país em país!

Queridos camaradas! A mentirosa imprensa stalinista enganou-os maliciosamente durante muito tempo sobre todos os problemas, inclusive tem enganado aqueles que se relacionam comigo e aqueles que politicamente pensam como eu. Vocês não possuem uma imprensa operária; leem apenas a imprensa da burocracia, que mente sistematicamente para mantê-los na obscuridade e assegurar, assim, o governo de uma casta parasitária privilegiada.

Aqueles que ousam levantar a voz contra a burocracia, odiada por todos, são chamados de “trostskistas”, agentes de alguma potência estrangeira, espiões – ontem da Alemanha, hoje da Inglaterra e da França – e depois são enviados para serem assassinados por pelotões de fuzilamento. Os assassinos da GPU mataram dezenas de milhares de lutadores revolucionários. Todos foram acusados de serem agentes do fascismo. Por favor, não acreditem nesta calúnia abominável! Seus crimes consistiram em defender os operários e os camponeses da brutalidade e da exploração da burocracia. A Velha Guarda bolchevique, os colaboradores e os secretários de Lenin, os lutadores da Revolução de Outubro, os heróis da guerra civil, foram assassinados por Stalin. Nos anais da História, o nome de Stalin receberá para sempre a marca infame de Caim!

A Revolução de Outubro foi feita pelos trabalhadores, e não pelos novos parasitas. Mas devido ao impasse político da revolução mundial, à fadiga e, em grande medida, ao atraso dos operários e especialmente dos camponeses russos, elevou-se sobre a República soviética e contra seus povos uma nova casta opressora e parasita dirigida por Stalin. O antigo Partido Bolchevique transformou-se no aparato desta casta. A organização mundial que foi uma vez a Internacional Comunista é hoje uma ferramenta subordinada aos ditados da oligarquia de Moscou. Os soviets de operários e camponeses há muito tempo deixaram de existir. Foram substituídos por degenerados comissários, isto é, pelos secretários e agentes da GPU.

No entanto, afortunadamente, as únicas conquistas da Revolução de Outubro que persistem são a indústria nacionalizada e a economia soviética coletivizada. Sobre estes fundamentos, os soviets de operários podem construir uma sociedade nova e melhor. Não podemos, sob nenhuma hipótese, entregar estas conquistas à burguesia mundial. É obrigação dos revolucionários defender com unhas e dentes todas as posições conquistadas pela classe operária, que se referem aos direitos democráticos, aos salários, a essa conquista colossal da humanidade que é a nacionalização dos meios de produção, e à economia planificada. Aqueles que não sabem defender as conquistas já ganhas, nunca poderão conseguir outras novas. Contra o inimigo imperialista, defenderemos a URSS com todas as forças. Entretanto, as conquistas da Revolução de Outubro somente servem ao povo, se este demonstrar ser capaz de acabar com a burocracia stalinista, assim como acabou com a burocracia czarista e a burguesia.

Se a burocracia dirigisse a economia soviética, levando em conta os interesses do povo, se a burocracia não houvesse devorado e desperdiçado a maior parte das receitas nacionais, se a burocracia não houvesse acabado com os interesses vitais da população, se a burocracia constituísse um grande polo magnético de atração para os trabalhadores de todo o mundo, sua inviolabilidade estaria garantida. Mas o infame regime opressivo de Stalin privou a URSS de seu poder atrativo. Na guerra da Finlândia, a maioria dos camponeses e também dos operários desse país demonstrou estar com a sua burguesia. Não é para surpreender-se com isso, já que conhecem a opressão sem precedentes da burocracia stalinista, imposta aos operários da vizinha Leningrado e de toda a URSS. A burocracia stalinista, tão sedenta de sangue e cruel em seu país, bem como tão covarde diante dos inimigos imperialistas, transformou-se no principal perigo de guerra para a União Soviética.

O velho Partido Bolchevique e a Terceira Internacional se desintegraram e se decompuseram. Os revolucionários mais honestos e avançados organizaram no estrangeiro a IV Internacional, que já conta com secções na maior parte dos países do mundo. Eu sou membro desta nova Internacional. Ao participar destas tarefas, sigo levantando as mesmas bandeiras que servia, quando me encontrava junto de vocês ou com seus irmãos mais velhos, em 1917 ou durante os anos da guerra civil; as mesmas bandeiras com as que, junto com Lenin, construímos o estado soviético e o Exército Vermelho.

O objetivo da IV Internacional é estender a Revolução de Outubro a todo o mundo e, ao mesmo tempo, regenerar a URSS e retirar do poder a burocracia parasitária. Somente há um modo de conseguir isso: com os operários, os camponeses, os soldados do Exército Vermelho e os marinheiros da Armada Vermelha se levantando contra a nova casta de opressores e parasitas. Faz falta: um novo partido para organizar esta insurreição, uma organização revolucionária valente e honesta dos operários avançados. O objetivo da IV Internacional é a construção desse partido na URSS.

Operários avançados! Sejam vocês os primeiros a organizarem-se em torno do estandarte de Marx e de Lenin, que agora é o estandarte da IV Internacional! Aprendam a criar, na ilegalidade, verdadeiros e compactos círculos revolucionários! Estabeleçam contatos entre estes círculos! Aprendam a estabelecer contatos, através de pessoas leais e de confiança, especialmente os marinheiros, com seus companheiros revolucionários dos países burgueses! É difícil fazer tudo isto, mas não é impossível.

A guerra atual se estenderá cada vez mais, amontoará ruinas e mais ruinas, produzirá cada vez mais dor, desespero e protesto, e provocará, em todo o mundo, novas explosões revolucionárias. A revolução mundial encherá as massas trabalhadoras soviéticas de coragem e determinação e corroerá os pilares burocráticos da casta stalinista. É necessário preparar-se para este momento com um audaz e sistemático trabalho revolucionário. Estão em jogo: a sorte do nosso país, o futuro do nosso povo, o destino de nossos filhos e netos.

Abaixo o Caim Stalin e a sua camarilha!

Abaixo a burocracia usurpadora!

Viva a União Soviética, a fortaleza dos trabalhadores!

Viva a revolução socialista mundial!

Fraternamente,

Leon Trotsky

ATENÇÃO! A imprensa de Stalin dirá, certamente, que aqueles que divulgarem esta carta à URSS, são “agentes do imperialismo”. Fiquem prevenidos com relação a isto, porque esta também é uma mentira. Esta carta chegará à URSS por intermédio de revolucionários de confiança, que estão dispostos a arriscar suas vidas pela causa do socialismo. Façam cópias desta carta e as distribuam da forma mais ampla possível.

L.T.

 

Nota:

[1]  “Carta aos operários da URSS”. Socialist Appeal, 11 de maio de 1940.

 

Fonte: TROTSKY, León. Escritos (1929-1940). Bogotá: Pluma, 1979. Tomo XI, volume 1. pp.226-229.

Publicado também pelo Centro de Estudios, Investigaciones y Publicaciones León Trotsky (CEIP): http://www.ceip.org.ar/Carta-a-los-obreros-de-la-URSS

Tradução para o português: Carlos Alberto Coutinho

trotsky