Nota pública do PSOL Belém

belém

PSOL Belém

O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), através de sua Executiva Municipal e da Bancada na Câmara de Belém, vem a público:

1. REPUDIAR a covarde agressão sofrida na última segunda, 5, pelo deputado Carlos Bordalo (PT), presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Pará, por parte do deputado federal Eder Mauro (PSD), notório defensor do extermínio da população da periferia de nossas cidades e de todo tipo de violência e de violações aos direitos humanos em nosso país.

2. SOLIDARIZAR de forma irrestrita com o deputado Bordalo e demais lideranças e ativistas sociais e ambientais que sofrem seguidas ameaças em nosso Estado, reiterando nossa firme cobrança ao governo Simão Jatene para que não permita que o odioso ciclo da impunidade se perpetue mais uma vez, desta feita no caso da Chacina de Pau D’Arco, Sul do Pará, quando no último 24 de maio 10 trabalhadores rurais foram covardemente assassinados durante operação conjunta da Polícia Militar e Polícia Civil

3. DENUNCIAR a verdadeira guerra de extermínio em curso no Pará, que tem como expressão mais evidente as chacinas em série que vitimaram, segundo números levantados pela imprensa, somente em 2017, 64 pessoas no Estado, sendo 46 apenas na capital. Esta situação de absoluto descontrole na área da segurança pública é agravada pela postura omissa do governador Simão Jatene (PSDB), que age como se o problema não lhe dissesse respeito. Ele é o principal responsável por esse descalabro e pelo terror que invade a casa das famílias paraenses.

4. EXIGIR a mais completa, rigorosa e imediata apuração da Chacina da Condor, que matou 5 pessoas e deixou mais de 10 feridas a bala, inclusive duas crianças. A ação impune de quadrilhas de narcotraficantes e de organizações paramilitares, conhecidas como milícias, chegou a uma situação insuportável. Só um governo como este de Simão Jatene sem nenhum compromisso com a vida pode guardar um silêncio tão cúmplice.

5. ALERTAR para o fato de que o total desmonte de políticas públicas na capital, sequestrada há mais de 13 anos por governos completamente descomprometidos com os interesses e anseios da maioria da população, é um fator que agrava em muito a crise social e o ambiente propício ao aumento da violência sem controle. Este quadro caótico assumiu maiores proporções no último período devido à desastrosa gestão do duplamente cassado prefeito Zenaldo Coutinho (PSDB)..

6. APOIAR decididamente as propostas apresentadas pelo deputado federal Edmilson Rodrigues (PSOL), que ontem (7), da tribuna da Câmara, pediu, entre outras medidas emergenciais, o imediato envio de tropas da Força Nacional de Segurança para auxiliar o Estado nesta situação crítica, bem como a realização de uma ação conjunta com a sociedade civil e demais instituições públicas para desencadear atividades no âmbito da educação, cultura e geração de emprego para a juventude, principal vítima desse hediondo círculo vicioso da violência.

7. CONCLAMAR toda a militância do PSOL a comparecer à Caminhada pela Paz, no próximo domingo, 11, às 8 horas, em frente ao Theatro da Paz, como resposta da sociedade paraense a este quadro de impunidade e de falta de ação dos poderes públicos.

– Pelo fim da violência e da impunidade!
– Por dias de esperança e paz para o povo paraense!

 

Belém, 8 de junho de 2017

Araceli Lemos, Presidenta do Diretório Municipal do PSOL Belém

Vereador Doutor Chiquinho

Vereador Fernando Carneiro

Vereadora Marinor Brito

belém