Voltar ao site

Anticapitalista oficializam sua saída do Podemos

· Sem Fronteiras,Últimos artigos

Comunicado de imprensa, 14 de maio de 2020

Encerramos, em 28 de março, um processo interno de votação, no qual os Anticapitalistas decidiram deixar o Podemos. Participaram 79% da militância, dos quais 89% votaram a favor da saída, 3% contra e 7,5% se abstiveram. Decidimos esperar até hoje para tornar o resultado público: prestar atenção à pandemia do COVID-19 que está atingindo fortemente o país e que afeta fundamentalmente os setores mais vulneráveis ​​das classes populares tem sido nossa prioridade.

 

Como co-fundadores desta organização [Podemos], foi uma experiência coletiva cheia de interesse e que sempre fará parte da nossa história, bem como da história de Podemos. Os objetivos que nos levaram a participar da fundação desta organização são conhecidos em todo o mundo. Era necessário formar um sujeito político amplo e radicalmente democrático, fortemente ligado às lutas e movimentos sociais, capaz de desafiar o poder econômico, cultural e político das elites e reverter os efeitos de um neoliberalismo agressivo e descontrolado. Com vocação, é claro, pensar e construir uma alternativa política geral ao ecocídio e ao capitalismo patriarcal.

 

Acreditamos que esses objetivos ainda estejam em vigor, mas que, hoje em dia, Podemos deixou de ser o espaço do qual os Anticapitalistas podem contribuir para isso. Já declaramos nossas posições muitas vezes e as contrastamos fraternalmente com as outras correntes da esquerda. Infelizmente, Podemos não é hoje a organização que pretendíamos construir a princípio: o modelo organizacional e o regime interno baseados em poderes e decisões centralizadores em um pequeno grupo de pessoas vinculadas a cargos públicos e o Secretário Geral deixa pouco espaço para o trabalho coletivo pluralista. Certamente, é um modelo que não demonstrou ser eficaz para o avanço no campo social: a organização militante e a força que Podemos possuía na época foram diluídas, desorganizadas e evaporadas com esse modelo, sem isso se traduzisse, como tentavam justificar, em uma melhoria nos resultados eleitorais.

 

Por outro lado, Podemos nasceu como um movimento político contra as normas econômicas e políticas do sistema. É óbvio que a estratégia mudou. Para Podemos, o "possível" foi progressivamente reduzido durante esses anos: do nosso ponto de vista, resta a tarefa de tornar possível o necessário. O ponto culminante dessa deriva é a estratégia de co-governar com o PSOE. Mais uma vez, um projeto de esquerda está subordinado a curto prazo à lógica do mal menor, aceitando renunciar a suas políticas em troca de pouca e não decisiva influência no conselho de ministros. Apesar da propaganda do governo, as políticas da coalizão não rompem com a estrutura econômica ortodoxa, elas não apostam na redistribuição da riqueza, nem em reforçar radicalmente o público e desobedecer às instituições neoliberais. Obviamente, apoiaremos todas as conquistas que ocorrerem nesse marco e juntos lutaremos contra a extrema direita. Mas, em um contexto de profunda crise sistêmica, acreditamos que o compromisso de promover a democracia e a justiça social envolve necessariamente a construção de força social, políticas ambiciosas e a preparação de um confronto contra as elites.

 

Os próximos meses e anos serão palco de grandes batalhas entre classes. A crise em curso não é temporária: é uma crise sistêmica, econômica, ecológica e de cuidados. Eles envolverão grandes realinhamentos políticos, culturais e sociais. Nada em que acreditamos hoje certamente permanecerá o mesmo. Nosso compromisso de construir um movimento anticapitalista aberto a todos os tipos de lutas e experiências nos permite olhar abertamente para o futuro e não há dúvida de que nos encontraremos em muitas lutas comuns com as pessoas de Podemos.

 

Assim que a situação socioambiental nos permitir, realizaremos uma conferência política de Anticapitalistas, para debater em profundidade nossas propostas para a nova etapa.
 

Todos os Posts
×

Quase pronto…

Acabámos de lhe enviar um email. Por favor, clique no link no email para confirmar sua subscrição!

OK