Voltar ao site

Campanha "DefundBolsonaro" questiona empresas

Campanha para salvar Amazônia questiona apoio de empresas a Bolsonaro: ‘De que lado você está?’

· Nacional,Ecologia,Sem Fronteiras,Últimos artigos

Campanha DefundBolsonaro reúne indígenas e ambientalistas para pressionar governos, empresas, investidores, cidadãos do mundo a parar de financiar a destruição da maior floresta do planeta

Claudia Motta, Rede Brasil Atual

Uma voz de criança pergunta: “Você está sentindo o cheiro de fumaça?”. E explica que é a Amazônia queimando. De novo! Em tom melancólico, lembra que os incêndios não são naturais, mas criados por “corporações parasitas” e pela “ganância globalizada”. E sentencia: “Bolsonaro permite isso”.

O vídeo da campanha defundbolsonaro.org lembra que as marcas que bancam esse governo, estão por trás das queimadas e do desmatamento da Floresta Amazônica. E avisa: “se você acha que esses incêndios não vão queimar você, pense de novo. A Amazônia está em cada respiração sua”.

Lançada dia 2 de setembro pela Apib, pelo Observatório do Clima, a Mídia Índia e o movimento 342 Amazônia, a campanha quer sensibilizar governos, empresas, investidores, cidadãos do mundo para a destruição da maior floresta do planeta Terra. É urgente ‘desapropriar Bolsonaro’, ressalta a campanha, e tornar a proteção da Amazônia uma condição obrigatória para o desenvolvimento, os negócios e os investimentos.

Participação
Reportagem da jornalista Mônica Nunes, do Conexão Planeta, ensina como participar da campanha e ajudar a “DefundBolsonaro”.

“O mundo precisa parar de comprar o ouro do Brasil! A madeira, a carne , o couro, grãos, o petróleo …. a menos que esses produtos sejam certificados. Essa é a única forma de garantir que o cheiro de queimado e o sangue dos povos originários não impregne os produtos consumidos tanto aqui como no exterior.”

Além de divulgar a mensagem e cartões da campanha, a campanha trabalha também por cinco medidas a serem disseminadas: a moratória do desmatamento na Amazônia; o aumento das penas para crimes ambientais e desmatamento; a retomada imediata do PPCDAm – Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia Legal; a demarcação de terras indígenas e quilombolas e a criação, regularização e proteção de Unidades de Conservação; e a reestruturação do Ibama, ICMBio e Funai.

“Essas medidas fazem parte de um documento assinado por 62 instituições, entre elas as autoras desta campanha, sobre a qual descrevo neste post, Amazon Watch, Articulação Nacional de Agroecologia, WWF Brasil, 350.org, CUT, Engajamundo, Idesam, IDS, FAS , entre outras”, informa a reportagem.

Também é possível assinar a petição online e doar para a Vakinha Online permanente da Apib, que dá suporte para os povos indígenas.

“Não descansar enquanto não pararem de saquear a Amazônia e todos os biomas brasileiros. Quando falar do assunto, divulgue como hashtags #AmazonOrBolsonaro #WhichSideAreYouOn #DefundBolsonaro.”

Todos os Posts
×

Quase pronto…

Acabámos de lhe enviar um email. Por favor, clique no link no email para confirmar sua subscrição!

OK