Voltar ao site

CO2 na atmosfera próximo de 15 milhões de anos atrás

· Ecologia,Sem Fronteiras,Últimos artigos

Na última vez em que o CO2 estava em níveis semelhantes, as temperaturas eram 3°C a 4°C mais quentes e o nível do mar 20 metros mais alto

Jonathan Watts, The Guardian, 9 de julho de 2020

A quantidade de dioxido de carbono na atmosfera da Terra está se aproximando de um nível nunca visto nos últimos 15 milhões de anos e talvez nunca experimentada pelos hominídeos, de acordo com os autores de um novo estudo.

Mantidas as taxas de aumento pré- pandemia, em cinco anos o CO2 atmosférico passará de 427 partes por milhão, que foi o pico provável do período de aquecimento do médio Plioceno, 3,3 milhões de anos atrás, quando as temperaturas eram de 3°C a 4°C mais quentes e o nível do mar era 20 metros maior que hoje.

Parece que agora precisamos voltar muito mais no tempo para ver o que está por vir.

Por volta de 2025, é provável que a Terra tenha um nível de CO2 na atmosfera não experimentado desde o Ótimo Climático do Mioceno Médio, há 15 milhões de anos, na época em que se pensa que nossos ancestrais divergiram dos orangotangos e se tornaram reconhecidamente hominídeos.

Em um artigo publicado na revista Nature Scientific Reports, uma equipe de pesquisadores da Universidade de Southampton construiu um novo registro em alta resolução de CO2 atmosférico durante o Plioceno usando dados derivados dos níveis de boro em fósseis minúsculos, do tamanho de uma cabeça de alfinete, coletados de sedimentos oceânicos profundos do mar do Caribe.

Isso confirmou as tendências observadas anteriormente nos núcleos de gelo, mas também permitiu uma estimativa mais precisa da faixa de CO2 naquela época geológica, quando os níveis de radiação solar eram os mesmos de hoje.

"Um resultado impressionante que descobrimos é que a parte mais quente do Plioceno tinha entre 380 e 420 partes por milhão de CO2 na atmosfera", disse um dos co-autores Thomas Chalk. "Isso é semelhante ao valor atual de cerca de 415 partes por milhão, mostrando que já estamos em níveis que no passado estavam associados à temperatura e ao nível do mar significativamente mais altos do que hoje".

"Atualmente, nossos níveis de CO2 estão subindo cerca de 2,5 ppm por ano, o que significa que em 2025 teremos superado qualquer coisa vista nos últimos 3,3 milhões de anos."

Os autores disseram que o estudo do passado fornece um guia para o que provavelmente acontecerá no futuro, à medida que a Terra responder ao acúmulo de gases de efeito estufa dos últimos dois séculos de emissões industriais.

"Hoje, os mantos de gelo não têm chance de se recuperar pela quantidade de CO2 emitido. Estamos ‘queimando’ o Plioceno e caminhando em direção a um futuro semelhante ao Mioceno”, disse outro dos autores, Gavin Foster, professor de geoquímica isotópica da Universidade de Southampton. "Agora, precisamos voltar mais no tempo para encontrar situações relevantes".

Durante o Mioceno Médio, as camadas de gelo diminuíram ainda mais e o nível do mar foi muito maior que o Plioceno. Foster isso foi muito antes de qualquer coisa reconhecidamente humana ter evoluído na Terra.

O aumento constante de temperaturas na era atual foi destacado na quinta-feira por uma nova colaboração internacional coordenada pela Organização Meteorológica Mundial e liderada pelo Met Office do Reino Unido. Na primeira do que será uma previsão climática de cinco anos atualizada anualmente, os cientistas observaram que há uma chance de 20% de o mundo atingir, mesmo que temporariamente, 1,5°C acima dos níveis pré-industriais antes de 2025.

“Este estudo mostra - com um alto nível de expertise científica - o enorme desafio colocado para se cumprir a meta de mudança climática do Acordo de Paris, de manter um aumento da temperatura global neste século bem abaixo de 2°C acima dos níveis pré-industriais e buscar esforços para limitar o aumento de temperatura ainda em 1,5°C”, disse o secretário-geral da OMM, Petteri Taalas.
 

Todos os Posts
×

Quase pronto…

Acabámos de lhe enviar um email. Por favor, clique no link no email para confirmar sua subscrição!

OK