Voltar ao site

Um terço da plataforma de gelo da Antártica em risco de colapso

· Ecologia,Sem Fronteiras,Últimos artigos

Mais de um terço da área da plataforma de gelo da Antártica pode estar em risco de colapso no mar se as temperaturas globais chegarem a 4°C acima dos níveis pré-industriais, de acordo com uma nova pesquisa.

University of Reading / EcoDebate, 9 de abril de 2021. A tradução e a edição são de Henrique Cortez.

A Universidade de Reading conduziu o estudo mais detalhado de todos os tempos, prevendo o quão vulneráveis as vastas plataformas flutuantes de gelo ao redor da Antártica se tornarão a eventos dramáticos de colapso causados pelo derretimento e escoamento, conforme a mudança climática força o aumento das temperaturas.

Ele descobriu que 34% da área de todas as plataformas de gelo da Antártica – cerca de meio milhão de quilômetros quadrados – incluindo 67% da área da plataforma de gelo na Península Antártica, estaria em risco de desestabilização abaixo de 4 ° C de aquecimento. Limitar o aumento da temperatura a 2 ° C em vez de 4 ° C reduziria à metade a área de risco e potencialmente evitaria um aumento significativo do nível do mar.

Os pesquisadores também identificaram Larsen C – a maior plataforma de gelo remanescente na península, que se dividiu para formar o enorme iceberg A68 em 2017 – como uma das quatro plataformas de gelo que seriam particularmente ameaçadas em um clima mais quente.

A Dra. Ella Gilbert, uma cientista pesquisadora do Departamento de Meteorologia da Universidade de Reading, disse: “As plataformas de gelo são importantes amortecedores que impedem que as geleiras em terra fluam livremente para o oceano e contribuam para o aumento do nível do mar. Quando elas entram em colapso, é como uma rolha gigante sendo removida de uma garrafa, permitindo que quantidades inimagináveis de água das geleiras caiam no mar.

“Sabemos que, quando o gelo derretido se acumula na superfície das plataformas de gelo, isso pode fazer com que elas se quebrem e desmoronem de maneira espetacular. Pesquisas anteriores nos deram uma visão geral em termos de previsão do declínio da plataforma de gelo da Antártica, mas nosso novo estudo usa as técnicas de modelagem mais recentes para preencher os detalhes mais finos e fornecer projeções mais precisas.

“Os resultados destacam a importância de limitar os aumentos da temperatura global, conforme estabelecido no Acordo de Paris, se quisermos evitar as piores consequências das mudanças climáticas, incluindo o aumento do nível do mar.”

O novo estudo, publicado no jornal Geophysical Research Letters, usou modelagem climática regional de alta resolução para prever com mais detalhes do que antes o impacto do aumento do derretimento e do escoamento de água na estabilidade da plataforma de gelo.

A vulnerabilidade da plataforma de gelo devido a esse processo de fraturamento foi prevista em cenários de aquecimento global de 1,5 ° C, 2 ° C e 4 ° C, todos possíveis neste século.

As plataformas de gelo são plataformas flutuantes permanentes de gelo presas a áreas da costa e são formadas onde as geleiras que fluem da terra encontram o mar.

Todo verão, o gelo na superfície da plataforma de gelo derrete e goteja em pequenas lacunas de ar na camada de neve abaixo, onde volta a congelar. No entanto, nos anos em que há muito derretimento, mas pouca neve, a água acumula-se na superfície ou flui em fendas, aprofundando-se e alargando-as até que a plataforma de gelo eventualmente se rompa e desmorone no mar. Se houver água se acumulando na superfície da plataforma de gelo, isso sugere que ela pode ser vulnerável a colapsar dessa forma.

Foi o que aconteceu com a plataforma de gelo Larsen B em 2002, que se quebrou após vários anos de altas temperaturas de verão. Seu colapso fez com que as geleiras atrás da plataforma de gelo acelerassem, perdendo bilhões de toneladas de gelo para o mar.

Os pesquisadores identificaram as plataformas de gelo Larsen C, Shackleton, Pine Island e Wilkins como as de maior risco abaixo de 4 ° C de aquecimento, devido à sua geografia e ao escoamento significativo previsto nessas áreas.

A Dra. Gilbert disse: “Se as temperaturas continuarem a aumentar nas taxas atuais, podemos perder mais plataformas de gelo da Antártica nas próximas décadas.

“Limitar o aquecimento não será bom apenas para a Antártica – preservar as plataformas de gelo significa menos aumento do nível do mar global, e isso é bom para todos nós.”

Referência Gilbert, E., & Kittel, C. (2021). Surface melt and runoff on Antarctic ice shelves at 1.5°C, 2°C and 4°C of future warming. Geophysical Research Letters 48, e2020GL091733. Disponível aqui.

Todos os Posts
×

Quase pronto…

Acabámos de lhe enviar um email. Por favor, clique no link no email para confirmar sua subscrição!

OK