Voltar ao site

#VermelhoEmBelém: o batom contra o machismo ultradireitista

· Feminismos,Últimos artigos,Sem Fronteiras

Milhares de pessoas aderem à hashtag que reivindica o uso do batom, após o candidato da ultradireita português criticar a oponente do Bloco de Esquerda, Marisa Matias, por pintar os lábios “como boneca”

S Moda, El País Brasil, 19 de janeiro de 2021

“Você se maquia como uma boneca’, ‘Fala como uma menina’, ‘É uma histérica’, ‘Está aí [nesse cargo] porque foi para a cama com seu namorado.’ Vá em frente, Marisa Matias. Viva a luta das mulheres #VermelhoEmBelém.” Com esse texto, a ministra espanhola da Igualdade, Irene Montero, juntou-se nas redes sociais ao movimento viral que defende que homens e mulheres pintem os lábios de vermelho com a hashtag #VermelhoEmBelém (um jogo de palavras que faz referência à residência do presidente de Portugal, o Palácio de Belém) e mostrou seu apoio à candidata Marisa Matias, eurodeputada do Bloco de Esquerda.

 

Falta pouco mais de uma semana para as eleições presidenciais em Portugal, e o movimento antifascista se mobilizou para apoiar a candidata de esquerda depois que o candidato do partido de extrema direita Chega!, André Ventura, aliado de Matteo Salvini e Marie Le Pen, atacou, num ato de campanha, sua adversária Marisa Matias por pintar os lábios, comparando-a a uma boneca.

A hashtag #VermelhoEmBelém, que no Instagram já tem quase 15.000 publicações de apoio à candidata de esquerda, com selfies de homens e mulheres de lábios pintados, incentiva as pessoas a fazerem uma foto de batom vermelho, usando-o como símbolo contra as condutas machistas da ultradireita. A campanha viralizou quando personalidades da cultura de Portugal, como a atriz Inês Herédia, apoiaram a candidata de esquerda contra os ataques machistas de seu oponente político.

A jornalista espanhola Pilar del Río, radicada em Lisboa, estendeu a reivindicação portuguesa à Espanha, com um tuíte apoiando a iniciativa, pintando os lábios “em sinal de liberdade” e “contra a extrema direita”, o que provocou um efeito-dominó na Espanha com o apoio (e selfies) de políticas e feministas como Montero e a delegada do Governo contra a Violência de Gênero, Maria Victoria Rosell, além do deputado Gerardo Pisarello, integrante da coalizão En Comú Podem e membro da Mesa do Congresso.


Por sua vez, a vítima das desqualificações, Marisa Matias, declarou à TV portuguesa durante a jornada de sexta-feira que “o insulto que André Ventura fez às mulheres não diz nada sobre as mulheres, mas diz tudo sobre esse homem”, mostrando-se feliz com a onda de solidariedade.

Vermelho em Belém, o batom continua a ser uma arma

Nas redes sociais, a onda de pessoas que pintam os lábios contra a misoginia continua. Veja aqui mais algumas das figuras públicas que não tiveram medo de dar os lábios à luta e leia o que têm a dizer.

Esquerda.net, 16 de janeiro de 2021

O batom é uma arma. E toda a gente sabe contra quem. Depois do candidato presidencial da extrema-direita ter tentado denegrir Marisa Matias por usar batom vermelho, uma onda de solidariedade invadiu as redes sociais, a hashtag #VermelhoEmBelem tornou-se viral e muitas pessoas, famosas ou não, pintaram os lábios para mostrar que não se deixarão intimidar.

Ao Expresso, Catarina Martins, que também se tinha juntado já ao movimento dos lábios vermelhos, considerou que as declarações de André Ventura são “um insulto dirigido às mulheres” e que os comentário do dirigente do Chega estão “carregados de misoginia”.

O mesmo fizeram de maneiras diferentes políticos de várias áreas, artistas, ativistas sociais e muitas outras pessoas. Uns, limitaram-se a pintar os lábios em desafio, juntando a hashtag. Outros, juntaram as suas mensagens.

Todos os Posts
×

Quase pronto…

Acabámos de lhe enviar um email. Por favor, clique no link no email para confirmar sua subscrição!

OK